terça-feira, 28 de outubro de 2008

As vicissitudes do Ego, by Krippmeister

Não é comum eu publicitar textos de outros blogues. Quando o faço, é porque o texto em questão é especial. E este é, sem dúvida, especial. Está magnificamente escrito pelo Mas além do que já nos habituou com os comentários, consegue neste texto retratar uma verdade masculina universal e, como sempre, com muito humor. Leiam este texto e visitem-no aqui:

Num comentário ao post anterior, a Salto-Alto disse o seguinte em relação aos videojogos: “Só gosto de ganhar mesmo. E se for a meninos, melhor. E se os ganhar por mérito meu (e não porque me deixaram) num jogo de futebol ou de corridas, a vitória tem um sabor divinal!”. (sim, sim, fui mázinha, já sei. Mas é a verdade, meninos, aguentem-se!) É certo que ela é advogada e esteve cinco anos a ser treinada para humilhar pessoas em público. (LOL! Muito bem tirada!) Mas esta sua gratificação em se superiorizar ao sexo oposto é generalizada, pelo que a questão mereceu este post.

Eu entendo a Salto. A verdade é que ego masculino vive ainda na era da inquisição. A nossa masculinidade está permanentemente sob escrutínio e deve portanto ser reafirmada a todo o momento. E afirmar a masculinidade passa sobretudo por ser superior às mulheres nas coisas realmente importantes da vida, como por exemplo dizer o abecedário em arrotês, dar chutos numa bolinha de couro, ou conduzir um canalizador italiano com voz de castratto numa corrida de karts. O herege do séc. XXI é aquele que não se mostra apto nestes e muitos outros testes de virilidade instituídos. E como tal é devidamente punido.

- Então e a Angelina pá? Ui, fazia-lhe tudo!

-Por acaso não me seduz nada. É esquelética. Parece que já morreu e ninguém lhe disse. E os lábios? A mulher deve ser alérgica ao próprio batom.

- Paneleiro! Prá fogueira!

Perder num videojogo com uma mulher só é aceitável se fôr no Tricô Simulator, ou quanto muito no Shopping Tycoon. Qualquer outro jogo insere-se no domínio da masculinidade. A mulher que ganhe nesta categoria viril tem não só a satisfação da vitória, como também o bónus de ver o homem a inventar desculpas cretinas para tentar salvar a sua imagem, enquanto clica nervosamente no start para mudar para outro ecrã que não o que diz “YOU LOOSE”.

- Epá fofinha! Se não fosse a ressaca da festa de ontem tinhas levado uma teca!

- Mas querido eu também bebi ontem...

-Sim fofinha, mas como toda a gente sabe 99% do cérebro da mulher é uma massa inerte, portanto dificilmente o alcool afecta aquela minúscula partezinha funcional.

Outra relação complicada para o ego masculino é a do homem baixinho com a mulheraça alta. Já vi de tudo, desde obrigar as moças a andar sempre de salto raso, até carregar um banquinho especialmente para as aparições públicas. Mais ridículo que um homem baixo ao lado de uma mulher alta, é um homem baixo a tentar desesperadamente ser alto ao lado de uma mulher alta a tentar condescendentemente ser baixa.

Estas situações são inevitáveis. São as vicissitudes. Aguente-se. O segredo está em saber tirar o que há de melhor e partilhar a experiência. Eu já estive em ambas, portanto falo-vos do lado da experiência pessoal.

Depois de meses como o campeão inabalável de Mário Kart nos campeonatos da hora de almoço, fui finalmente derrotado pela Joaninha, que com determinação e habilidade se tornou uma corredora exímia. Ela ficou radiante com o seu feito e eu também. Foi uma festa assinalada com post e tudo, e a partir daí a competição tornou-se muito mais divertida, com os campeonatos a serem decididos frequentemente na última corrida. Não houve sequer espaço para egos feridos.

Quanto á questão das mulheres mais altas a resposta é simples: É mais alta? Óptimo! Há mais para escalar :)


Querido
Krippa, mais uma vez, muitos parabéns. E homens, ponham os olhos neste beo espécimen.

(versão corrigida pelo Krippmeister)

17 comentários:

L!NGU@$ disse...

Devidamente comentado no sítio certo. Next :)

Krippmeister disse...

Depois de ter sido presenteado com o post das babes, sou honrado com uma transcrição no Porque Sim :) Obrigado saltinho! O meu ego já está histérico tipo Super Mário.

Informo ainda que o texto tem algumas gralhas que no meu blog já não tem. Mas isto não é falha da Saltinho, eu é que só reli o texto aqui e portanto so corrigi depois.

Mais uma vez obrigado linda.

Beijão

Lúcia disse...

Adorei o post!!! Muito bom mesmo...Ainda bem que existem homens a sério que consegue ver a realidade em vez de a camuflar com a "virilidade" característica dos homens... :)

Miss Kitty disse...

Porque não são todos assim?)))
Adorei o post!

*BJS*

Pedro Barata disse...

Um grande texto sem dúvida. Parabéns ao autor e ao fantástico saltinho!!! ;)

Beijinhos

Joaninha disse...

O Krippahl é um senhor pá!

E tem um sentido de humor hilariante.

Beijos saltinho :)

♥Shop♥ Pedaços de Cor disse...

Há novidades no meu blog!
Visita*

bj =)

Pearl disse...

Gostei imenso de ler...muito bom mesmo!

beijo

Gracinha disse...

Lol, gostei bastante!

D.Antónia Ferreirinha disse...

ahahah.
gostei bastante.
beijinhos.

Skywalker disse...

Ora ate que enfim alguem que me parece que tal como eu nao subscreve a ideia de que temos que ser todos machos latinos.
parabens pelo texto.

Aralis disse...

Ainda bem que hoje em dia já é mais comum ver meninos assim!
Sim, todos somos diferentes, mas bolas ñ há que menosprezar ninguém!
beijokas e venham mais

Alguém disse...

Adorei o texto! Mesmo! Muitos parabéns Krippmeister!

Ninja! disse...

Olha, eu estava a conduzir um Renault Clio e tu um Dodge Viper, ok? Dá-me lá um desconto!

Ninja! disse...

E mais, desligar-me o comando da consola quando eu vou a frente, também não é muito simpático.

Krippmeister disse...

Obrigado pessoal :)

E viva as gamers!

Salto-Alto disse...

Um MUITO OBRIGADA a todos pelos comentários e mais uma vez PARABÉNS Krippmeister, por um post tão genial!

Beijocas para todos!