segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Nem hoje nem amanhã.

Hoje não posso postar porque parte de mim partiu-se.
E não foi o meu tacão..
Beijinho.

domingo, 28 de setembro de 2008

Ora bem,

feitas as contas (e sem contar com este post), só este mês escrevi 31 posts em 26 dias.... Acho que merecem um descanso e que vos devo uma folga de posts, não? Parece-me bem que sim... :)

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Comunicado ao país

Para quem ainda não sabia, tenho as amigas mais lindas, engraçadas, inteligentes, fantásticas e tudo o resto que é bom do universo inteirinho. Sim, porque a existir E.T.'s, são criaturinhas horrorosas que, como um gajo bom que conheço diz, parecem alheiras com olhos! E acéfalas.

Adiante. Só queria avisar o país que estamos a planear uma série de girl's nights e que vai ser tão inacreditável que até vai doer! Os pés, calro, porque vamos arrasar! E calçadas divinalmente, senão vejam:

Como não podemos reunir o gangue todo, o sapatinho descalçado é de Alguém que não pode comparecer à horinha de shoetime. E ainda faltava um sapatinho, mas não havia em roxo, não é Duquesa? ;p (Krippmeister, adivinha lá que sapatinho é o meu? E já agora, que cor acabei eu por comprar? ;p)

Portanto, a modos que vai ser assim uma espécie de 7ª temporada de Sexo e a Cidade. Mas sem os Manolo's. Pois... Essa agora é que me lixou.... Ainda bem que nós temos o charme e estilo para compensar a falta de sapatos de designers conhecidos. Para famosas, bastamos nós. Nos aguardem!

Como é que se sabe que é Sexta-Feira e que eu tenho folga de tarde?

Nada mais fácil.
Pelo menos para os meus vizinhos.
É ouvir-me a sair da casa de banho, a fazer todo o percurso até ao meu quarto e a secar o cabelo só de toalha e já de saltos altos enquanto danço e canto em altos e desafinados berros "You can dance, you can jive, having the time of your laaaaiiiife! See that girl, watch that scene, dig in the dancing queen!!!!!!!!!"

Ai se o Herman me ouvisse. Era eu quem ia à final daquele concurso com o nome "não sei quem canta porque o Herman, apesar de não ser concorrente, insiste em esganiçar porque só gosta de ouvir a sua voz" ou algo semelhante.

E sim, ainda não me saíram da cabeça as músicas do filme.

Raios partam as minhas primas que se lembraram que era giro as mulheres da família irem ver o Mamma Mia. Cheira-me que os meus vizinhos concordam comigo.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Desculpa lá

Lembra-se deste post? Pois... Desculpa lá, Pedrocas, desta vez até fizeste o jeito.
Pronto, vá lá...
Até és fixe.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

F*did@ com a vida

Estou chateada, irritada, piursa....

Acabo de ser notificada da sentença da primeiríssima acção que fiz. Resultado? Ganhei. Merda.
Não, não sou mais uma gaja doida que anda por aí e que nunca está satisfeita com nada. Nem me queixo à toa.

É que a acção que ganhei é precisamente a única que quis perder. A única que fiz contrariada e me senti a pior pessoa do mundo por estar a defender aqueles sujeitinhos.

Mas não tive escolha. Não sou eu quem escolhe quem representar (para já, porque depois esta merda vai mudar, que farta de ver gentinha a vender a alma ao diabo já eu estou e já vi esses filmes todos no cinema).

A acção era justa, eu é que estava a defender a parte reles. E ganhei. Nem chegou a ir a julgamento. Ganhei por ter reparado uma merda de uma tecnicalidade que deitou a acção por terra.
E fez-se injustiça.

Claro que o Tribunal, ciente de que me tinha lixado o dia, resolveu compensar-me e divertir-me. E como é que ele decidiu fazer isso? Nada mais fácil.

O Tribunal decidiu notificar hoje o meu escritório, informando que para a semana temos que comparecer uma conferência. Até aqui tudo bem, não fosse a causa dessa conferência já não existir.

E então para a semana temos que ir ao Tribunal discutir se o pai (nosso cliente) pode levar o filho de férias de Verão, do passado dia 1 ao dia 15 de Julho.

Ligamos para lá. O Secretário do Tribunal disse que o Tribunal sabe que já se passaram uns mesitos desde que a questão foi resolvida porque foi notificado do facto. Mas tem saudaditas de contacto pessoal, coitado. É muito solitário.


Não fosse o facto de hoje ter comprado 2 pares de sapatos a juntar ao par que comprei ontem e estava mesmo lixada!


Animam, não animam?

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Requerimento

Salto-Alto
Advogada Estagiária
Ex.mo. Sr.Juíz de Direito do
Tribunal Judicial do Porto
Processo nº abc/xy.z
Juízo Criminal


O meu cliente, Recorrente nos autos à margem referenciados, não se conforma com a douta decisão deste tribunal.

O meu cliente é um burro de primeira classe, daqueles que não sabe distinguir uma pedra de um pau. Quanto a isso, nada pode ser feito.

Acresce ainda que além de ser burro, se acha a alminha mais sábia à face da terra.

E acha-se o melhor e mais sexy homem do mundo. É uma espécie de Zézé Camarinha, mas do Norte.

Testemunhas dizem que ele é insuportável. Mas eu, na qualidade de advogada estagiária, digo que ele é um porco idiota e chauvinista que não tem onde cair morto.

Por isso acha perfeitamente compreensível e até da mais elementar justiça atropelar alguém e ainda pedir uma indemnização à vítima. Porque a culpa foi toda dela.

Afinal, quem é que a mandou atravessar na passadeira? E tão devagar?

Por isso o Idiota Mor quer recorrer da sentença. Não quer pagar absolutamente nada à vítima que atropelou.

Mais ainda, acha que foi injusto a polícia ter dito que ele bateu e fugiu. Nem pensar. A vítima é que, de má fé, se atirou propositadamente para a frente da viatura do meu cliente, a fim de o atrasar para o encontro que este tinha marcado com a prostituta lá da zona. E por isso, não querendo que a vítima levasse a melhor, atropelou-a e acelerou para o seu encontro. Onde é que isso configura uma fuga?

Assim, requer o meu cliente que a vítima que ele atropelou o indemnize por danos patrimoniais e não patrimoniais.

A vítima tem que se responsabilizar pelos danos causados à viatura, já que a frente do carro ficou amassada e o vidro ficou partido.

Além de que o meu cliente chegou atrasado para o seu encontro e defende que isso foi a única causa de não ter dado uma queca nessa noite. Isso e o facto de a rapariga não se ter apercebido que se tratava de um encontro. E por isso o chamou todos aqueles nomes insultuosos em frente a toda a gente quando ele a tentou cumprimentar com um apalpão no rabo.

Seja feita justiça.

E por isso, para que a justiça seja reposta, pede-se ao Tribunal que extradite esta coisa que se auto-intitula, sem qualquer propriedade, de "homem" para um qualquer Estado dos E.U.A. que permita e ordene a pena de morte deste asqueroso ser.

Sem mais de momento e com os mehores cumprimentos,

Pede deferimento,

Salto-Alto

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Hoje vi-o.

Mal o avistei senti que era diferente.

Especial, até.


Naquele preciso momento soube que tinha que ser meu.


Vergonhosamente, pensei que tínhamos sido feitos um para o outro.

Com um mero relance, apaixonei-me.

Contr
a tudo o que sempre acreditei, senti que foi amor à primeira vista.

Lembro-me vagamente de proferir as palavras "vais ser meu".


Cole
i-me ao vidro que nos separava.

Fiquei extasiada a apreciá-lo.


Sim, um dia vais ser meu.

domingo, 21 de setembro de 2008

Momento lamechas #2

Neste fim-de-semana fui às Feiras Novas com os meus amigos. O grupo do costume, fora alguns que não puderam ou não quiseram ir (mas que foram lembrados como se lá estivessem). Por norma não gosto das festas das terriolas e tal. Pronto, tenho a mania, é o que é. Mas enganei-me. Foi muito giro, imensamente divertido e não faltou nada. Curiosamente nem sequer me senti compelida a escrever este post para falar das Feiras Novas. Escrevi por outro motivo.


Tenho 23 (a caminho dos 24) anos. Já tive imensos amigos e diversos
"grupos" de amigos. Mas nunca nenhum assim. Tenho os amigos perfeitos. E por isso me deu este lamechismo ao ver as fotos que tiramos (umas míseras 225 fotos). Porque gosto imenso deles, não me canso da sua companhia e porque eles são como são, cada um com um feitio único e fantástico à sua maneira.


Porque acho fora de série a maneira como nos completamos, como conseguimos estar juntos durante horas, sem parar de rir ou de falar e com total ausência de momentos monótonos e na hora da despedida já estamos a combinar algo para o dia seguinte. E no dia seguinte lá estamos juntos outra vez para novas gargalhadas, novas conversas, novas aventuras e novas fotos e vídeos.


Porque podemos estar muito bem num café ou num bar e de repente alguém sugere outra coisa qualquer e todos alinham. Nem que seja a coisa mais estúpida do mundo para fazer àquela hora. Vamos e pronto. Ainda que possa não apetecer um ou a outro, alinham todos. E divertimo-nos sempre, sem excepção.


Porque estamos lá uns para os outros. E porque já tenho rugas de tanto me rir convosco (e muitas vezes, de alguns de vós (homens, porque das meninas não se ri, apoia-se!)).

Por isso ultimamente ando tão lamechas. Por causa deles.

Já nem falo nas minhas meninas! Segunda-feira já há novas aventuras! E a girl's nigth está para breve! :)

Daí este post. OBRIGADA.
Por serem assim e por fazerem deste grupo o mais fantástico de sempre.

Do fundo do meu coração, o meu mais sincero obrigada!


(bem sei que tem "porque's"' a mais, mas o nome do blogue é "Porque Sim!",não sei do que estavam à espera! ;p)

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Adenda ao último post

É só para dizer que importante importante é cada um se vestir como se sente melhor. EU só estou bem quando me sinto eu própria. Se não combinar, azar. (sei que parece contradição com o post anterior, mas na verdade não é). Afinal quem é que inventou mesmo esta coisa da "moda"? E eu não sou ninguém para estar a dizer às pessoas o que vestir ou o que usar!

(o post anterior foi feito a pedido de um amigo meu. eu acho e sempre achei que cada um se veste como quer (embora haja limites para o mau gosto). O post anterior eram apenas guide lines para esse meu amigo. Daí o não haver contradição.)

As minhas opiniões

Caro Bloguótico:

- As calças de ganga combinam com todas as cores que quiseres conjugar;

- Os sapatos devem condizer com a bolsa - ATENÇÃO: devem conjugar bem juntos E não é uma regra que valha sempre e sem mais!!!!!!!!! O cinto é que tem que condizer sempre sempre com o calçado!

- Nunca se devem usar demasiados acessórios (por exemplo, se uma mulher usar um colar vistoso, os brincos devem ser mais discretos);

- Castanho e preto não combinam, nunca, jamais e em tempo algum;

- Bege não é a mesma coisa que castanho;

- Azul escuro e preto é uma má conjugação;

- Nunca questiones nenhuma mulher acerca das suas opções de vestuário.

Para já achas que chega?

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Eu vi logo

Para a manhã de Segunda-Feira começar tão bem, algum dia tinha que compensar. Merda de noite.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Admitido sob coação e apenas por causa desta

Um engenheiro pega num tubo de Super Cola 3 e arranja qualquer aparelhinho.

Eu pego num tubo de Super Cola 3 e colo os dedos...

Comunicado

Amiguinhos:

A minha vidinha tem andado muito ocupada. Depois do maravilhoso fim-de-semana prolongado veio o trabalho. Consequência: menos tempo para poder passear pelos blogues, menos tempo para responder aos meus queridíssimos comentadores e menos tempo para poder digitar as besteiras que me passam pela cabeça. Entre o estágio e as saídas com os amigos resta-me muito pouco tempo. Por isso, aviso que os comentários nos vossos blogues vão demorar a aparecer mas vão aparecendo aos pouquinhos, bem como as respostas aos vossos comentários. Mas nunca, jamais e em tempo algum pensem que vos abandonei ou que me esqueci de vós, são várias as vezes que tenho um pensamento parvo ou, uma vez ou outra, engraçadito e me lembro de colocar aqui, mas o tempo não dá para tudo.

Até já!


Ah, aproveito para dizer que os meus amigos são fenomenais e até alinharam (poucos deles) numa foto ao nosso belíssimo shoeware! Hehe! Tenho ou não tenho amigos porreiros? ;p

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Regresso ao Estágio - A Saga do dia de Ontem

Regresso ao estágio. Primeiro dia no escritório. A manhã auspiciava uma óptima segunda-feira. Motivo, desde logo e só por si, para desconfiar das verdadeiras intenções do sol que hoje brilhava tanto. Hmm... bem disposta a uma segunda-feira de manhã E sem ter tomado o meu habitual café?... Hmm, não me parece. Ou eu não estou bem ou o resto do mundo está do avesso hoje.

Vou atrasada mas sem pressa para o escritório. Quando chego, todos os advogados decidem que é hora de ir ao café. Lá vamos nós então. Debate sobre direito. Gente sequinha, não têm vida social? Nem tudo é leis... porra! Volto ao escritório. O dia de trabalho começa bem: três processos cujo prazo terminava hoje. Dos três. Lindo. Daqueles processos complicados em que o cliente não tem razão nenhuma mas se acha a pessoa mais prejudicada do mundo. E nós é que temos que inventar soluções e dar a volta às situações de merda em que eles se meteram. E depois os advogados é que são ladrões... Ingratos.

Quando olho para o relógio são 12h57. Tinha combinado encontrar-me com uma amiga às 13h no café. Engulo o almoço sem mastigar (lá se foi a porcaria da dieta para as couves) e envolvo-me na minha própria prova de triatlo pessoal do escritório até ao centro da cidade: 50 metros de sprint, salto em comprimento sobre os montinhos de areia e de pedras que misteriosamente apareceram nas ruas da cidade e uma corrida nas pontas dos pés, pois a merda dos buracos entre as pedras da calçada mostraram hoje a sua personal vendetta contra mim. Muito gostam eles de ter o meu tacãosinho enfiado nos intervalos que as separam. Porcas depravadas.

Chego ao meu destino. Cusquices postas em dia, vou para o refúgio do costume depois da hora de almoço. Ai, se não fosse o habitual café com os amigos e companheiros de batalha.... Depois daquela horinha, o mundo parece um local mais estúpido e cómico. Hehe.

Mais um sprint até ao escritório, sempre a tentar evitar os buracos e, qual diva num qualquer filme dos anos 60, lá dou o ocasional saltinho teatral por cima dos percalços e buracos do caminho. Ao passar numa agência de viagens dou uma olhadela aos cartazes e às revistas, mesmo a tempo de agarrar numa com fotos sugestivas da Andaluzia. Acelero em direcção ao escritório enquanto prometo a mim mesma que ainda lá vou voltar.

A tarde no
escritório insinua-se longa, longa, longa. Bem preciso de ir deitando uns olhinhos àquelas praias de vez em quando. E aos preços, para cair na realidade e voltar ao trabalho.

O tempo não passa. Vou aguentando, pensando sempre no jantar marcado para a noite. Promete! Vou insultando mentalmente os idiotas que fizeram tanta asneira. É que hoje só me calham processos de gentinha idiota que não sabe o que fazer da vida. E como não sabem, fazem merda. Claro que isso me dá trabalho, o que é mesmo muito bom, mas ao menos praticavam crimes mais divertidos, sempre me dava mais alegria trabalhar nos casos deles! Gentinha má, é mesmo má vontade!

Da próxima vez, em vez de conduzirem em excesso de velocidade ou de ameaçarem funcionários,
experimentem vestir roupinhas mais catitas, cometendo alguns atentados contra a inteligência humana, e desatem a insultarobjectos inanimados ou a discutir com o vosso cônjuge, desbobinando todos os pormenores sórdidos da vossa vida familiar. Assim daqueles humilhantes. Do género do marido só conseguir uma erecção ao vestir a roupa interior da mulher, ou da mulher só conseguir atingir o orgasmo se berrar palavrões em francês durante o acto. Isso era giro. Dívidas e atropelamentos já tenho que chegue, obrigadinha! Gente chata.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Mamma Mia

Filme visto, banda sonora já adquirida antes. Devia ser ao contrário, mas eu gosto é de fazer as coisas como me dá na real gana e depois saem-se estas belas coisas. Adiante,este fim-de-semana fui ver o filme. E pronto.

Eu, Salto-Alto me confesso, que não sou gaja de gostar de muitos romantismos e lamechices, não sou não senhor. Só a visão de um casalinho feliz a cantar juntinho e um para o outro dá-me vómitos. E enganam-se aqueles que acham que eu sou mas é uma cabra ressabiada. Estejam todos satisfeitos como eu estou e fazia-se muito mais amor do que guerra (nota nº1: odeio a expressão "fazer amor" (vómito vómito); nota nº2: reparem no brilhantismo do comentário, uma vez que a célebre frase "make love not war" é precisamente contemporânea à época dos Abba; nota nº3: estragei toda a subtileza da piada com a explicação...).

Isto tudo para dizer que o filme não está mau. É um bom filme. Mas houve coisas que me tiraram do sério. Quem fez as legendas deve ser escritor de ditos populares. Daqueles maus.

Aquela Meryl Streep é uma actriz do caraças... Mas caramba, ó filha, da maneira como tu esperneias no telhado enquanto cantas não engana ninguém, tu precisas é de uma queca! E o Pierce Brosnan? Devia ser proibido alguém que já encarnou o James Bond fazer aquelas expressões faciais, aqueles gemidos e aquelas cantorias em qualquer outro filme!

Sim, sou da opinião que houve exageros. E que já não podia ouvir o raio do homem a cantar. Não gosto de músicas lamechas, pronto. Sim, têm razão, se não queria ouvir actores a cantar não ia ver um musical. Mas o filme está bom! E a cantoria foi do meu agrado... Aliás, todos os actores têm vozes fenomenais! Mas era preciso cantar tanto?

Uma coisa é certa: o filme tem algo de contagiante que nos faz cantarolar inadvertidamente as músicas dos Abba. Por favor, quem já tiver visto o filme e consiga parar de gritar "Mamma Mia, here I go again" que me diga qual a cura, por favor. Já afugentei 2 potenciais clientes com os meus gritos...

É só do meu pc

ou o blogger hoje está uma merda?

A feliz causa da minha ausência

Obrigada pelo melhor fim-de-semana prolongado de sempre. Pelo jantar na Sexta, pela viagem, por aqueles momentos, pelas conversas, pelas fotografias (principalmente as cómicas e as artísticas), por aquele pôr-do-sol, por tudo... Ficam as fotos para recordar com saudade e desejo de repetir. :)

domingo, 14 de setembro de 2008

O meu primeiro "assédio" (mas muito simpático) blogosférico

Caro Renato (sim, você sabe quem é porque me contactou via e-mail!), obrigada por ter feito o meu dia. Graças a si, o meu ego cresceu. Ainda bem que não foi muito senão não me equilibrava nos meus saltinhos. Agradeço imenso os elogios que me teceu. Infelizmente acha-me sensual e romântica mas nem por isso leu todos os meus posts, uma vez que já num deles assinei com o meu verdadeiro nome. Vou continuar a almejar por um verdadeiro fã, que leia tudo o que eu escrevo e me ofereça sapatos à minha medida :). Muito obrigada pelo presente e pela atenção. Um beijinho para si.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Os Nabos

Sinceramente, não percebo porque é que, de todos os legumes, os nabos têm que ter o maior protagonismo. Mas quem é que se lembrou de começar a chamar "nabo" a torto e a direito às pessoas menos expeditas? Hã? Pois! E como se já não bastasse, ainda foram inventar a expressão "tirar nabos da púcara". É mesmo estarem-se a armar em vedetas, o raio dos nabos! Defendo um tratamento igual para legumes iguais. Não à discriminação das cenouras, tomates e outros afins. Já por causa das tretas, em vez de chamar nabo, chamo "Pepino" aos mais idiotas. Sempre é diferente. E mais igualitário. Tenho dito.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

E era...

Assim era... É que nem tenho mais nada a acrescentar! A não ser "obrigada pela dica Saves!"

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Ora bolas.

Isto de escrever posts novos todos os dias é cansativo. Parece que não, mas vai-se a ver e até é! E enquanto a inspiração não vem e eu tenho os meus dias e noites ocupadíssimos em aproveitar os resquícios dos últimos momentinhos de férias o meu tempo na blogosfera tem diminuído muito.

Por isso hoje vou à praia (não, ainda não me fartei!^^) e vou ser preguiçosa, não deixando post agendado! Mal tenha tempo e oportunidade volto à minha regular ronda pelos vossos blogues!
Beijocas!!
(para verem como não sou mázinha, cliquem aqui e riam-se, muito!)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

E agora é que me contam esta? Bolas! Agora já não preciso!

Dia de exame na universidade. 100 alunos na sala. Professor chato e impaciente, aflito para se ir embora.

- Às dez em ponto termina o exame e quem não entregar até essa hora não entrega mais! - diz o professor.

Às 10:10h, um aluno corre com o exame na mão até à mesa do professor, que já arrumava as coisas para ir embora.

- Eu avisei que não ia aceitar exames entregues fora do horário! Esqueça!

O aluno com ar de autoritarismo perguntou: - Você sabe com quem está a falar?

A resposta do professor, repleta de sarcasmo: - Não, não faço a menor ideia.

Empinando mais o nariz, repetiu: - Tem certeza disso?

– Absolutíssima!

O aluno levantou a imensa pilha de exames, enfiou a dele no meio, baralhou e disse:



- Então descubra...

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Anúncios engraçados #1

video

video

A inocência aos 4 anos

Ela - Este é o teu quarto?
Eu - Sim, é!
Ela - E esta é a tua cama?
Eu - Sim, esta é a minha cama?
Ela - Ah! É tão grande! Tu dormes aqui sozinha?
Eu - Sim, durmo! E tu, também dormes sozinha?
Ela - Eu? Eu não, eu durmo com as minhas cuecas!

sábado, 6 de setembro de 2008

I pity the fools

Sim, usei no título a frase mais famosa do Mr.T. É de gajo e eu tive os tomates (psicológicos) para o fazer. ;p Os fools em causa são os americanos (por esta é que não estavam à espera!... tomem lá um post político que faz bem ao soninho!).

As coisas que se passam nos Estados Unidos da América e que eu não entendo davam para encher 20 volumes de livros da espessura do livro “Equador”, do Miguel Sousa Tavares. Desde milhares de votos que desapareceram nas eleições e foi eleito, de novo, o Presidente mais idiota de todos os tempos a um Vice-Presidente balear “acidentalmente” um caçador… Pois, fosse só isso e o mundo era mais feliz. Mas não. Uma coisa que me faz muita confusão é o cinismo americano. Apelam constantemente ao “American Dream”, e na América é tudo muito bonito e corre tudo muito bem… Não entendo como o continente mais novo do mundo, que começou por ser colonizado e recebeu gente de todas as nacionalidades, conquistando terra à custa de sangue derramado, de repente se pode arrogar do direito de impedir cubanos, mexicanos, entre outros, de entrar no seu território. Do nada. Quem lhes atribuiu aquela terra a eles? E porque têm eles mais direito que os outros? Vale lá a regra infantil do “I called it first”? Mas há pior. Gritam a plenos pulmões que são um país que não discrimina e que todos têm as mesmas oportunidades e que cumprem o sonho de Martin Luther King, mas no entanto há um candidato africano à Presidência e em tudo quanto é lado se exclama que vai ser o próximo presidente negro. Quer dizer, se não há discriminação, que merda interessa se ele é branco, preto, amarelo ou vermelho?! Está-se a apelar a votos apelando à cor de pele do homem! O que é isto senão discriminação? E o que mais me chateia: cada vez mais a América é o país da obesidade. E o que abunda mais por aqueles lados? Pois é, McDonalds, Burger Kings, Kentucky Fried Chicken, Taco Bells, e por aí em diante. E políticas de saúde para tratar dos obesos? Só existem se o doente em questão tiver seguro. Mas todos usamos os EUA como exemplo de prosperidade, modernidade e modelo a seguir. Já para não dizer que os meios de comunicação lá são totalmente controlados pelo governo e nada é transmitido sem passar pelo rigoroso escrutínio do governo. Eu gosto da América dos filmes e adorava morar lá, mas sei que aquela é a parte da América que nos querem mostrar. Quanto a Portugal… nem tenho coragem para começar… Falar da desgraça dos outros sempre nos afecta menos… ;p

P.S.: Descansem os que estão a pensar que vi demasiados episódios de X-Files e que virei a mulher da conspiração! Agora tenho que ir porque “eles” estão a vigiar toda a internet. Até amanhã, se o FBI não me apanhar primeiro. Se apanhar, destruam os meus sapatos.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Pois é, a Salto tem andado muito muito ocupada e por isso não tem tido tempo para vir aqui (e já acha que é gente importante, para falar nela na terceira pessoa...tem a mania... :p)!

Peço desculpa por não andar a responder aos vossos comentários e por não visitar e comentar os vossos cantinhos como é costume. Todos os posts desta semana foram previamente agendados (à excepção do texto do agradecimento) e por isso têm sido publicados posts todos os dias mas eu não tenho respondido a nada. Prometo que assim que tiver tempo respondo a tudo e vou-vos visitar! :)
Beijoca!!!

É de gaja

Hoje o post é dedicado às meninas.

Juramos a pés juntos que não estereotipamos os homens, que gostamos é que nos façam rir e que o que conta é o que está por dentro... Pois , o que está por dentro da roupita. Nós gostamos é de um bom e apetitoso bad boy, que saiba exactamente em que botõesinhos tocar precisamente na altura certa. Um bad boy é sempre sexy... Claro que depois o gajo tem que fazer pela vidinha e ser atencioso e querido e aquelas coisas todas de que vocês dizem que nós nos queixamos mas que ainda não repararam que vocês, homens, não se queixam porque não precisam, uma vez que nós mulheres já somos e temos o pacote inteiro, não há cá erros ou defeitos de produção, ora! Adiante. Eu, Salto, confesso que a minha perdição é homens por detrás do volante e a manobrar. Acho atraente ver um homem a ter o controlo de uma máquina, o que se vai fazer? Se calhar é por ser tão raro vê-los a ter o controlo efectivo de algo... ;p É coisinha para me deitar abaixo dos meus tacões... Pronto, são pancas! Isso e não gostar de loiros... Têm um ar tão...purinho... Não gosto, pronto. Meninas, estes são para vocês:

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Finalmente

Esperei anos por isto. Ansiei, disse “um dia ainda vou fazer o mesmo”, quis vingar-me, gritar, repetir, escrever vezes sem conta com medo de me esquecer, sonhei com o acontecimento, imaginei o quando, o que eu tinha vestido, onde estava, a minha atitude, a posição das mãos, o atirar o cabelo para trás e empinar o nariz e erguer o dedo indicador. Imaginei, até ao mais ínfimo pormenor, o tom que iria usar, o momento certo para pausar, o arquear dramático das sobrancelhas e a entoação que iria dar. Sempre ansiosa e expectante. E hoje pude pôr em prática a minha tão planeada e desejada vingança. Finalmente, hoje foi o dia em que pude dizer à minha mãe, que decidiu mudar a cor do cabelo porque a amiga o fez: “E se a tua amiga se atirasse de uma ponte, também te atiravas?".

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Tem mesmo que ser partilhado

Não sei se todos conhecem o talk show do Jimmy Kimmel. É muito famoso na América. Todas (mas mesmo todas) as noites, Kimmel diz que o Matt Damon vai ser entrevistado no programa. E de todas as vezes ele termina o programa dizendo que já não há tempo para entrevistar o Matt Damon e que por isso a entrevista fica para o dia seguinta. Isto repete-se em todos os programas. Até que o Matt Damon (obviamente já tudo combinado e encenado) se zanga:

video

Depois, é Sarah Silverman, namorado do próprio Jimmy Kimmel, que decide ir ao programa e mostrar ao seu namorado um vídeo que fez para ele:

video

Não satisfeito com o vídeo, Kimmel vinga-se:

video

Muito bom! ;p

terça-feira, 2 de setembro de 2008

O meu mais sincero obrigada

Depois de ler as tretas do magnífico escritor do blogue “Tretas da Vida” e depois dos comentários das queridíssimas "Alguém" e “pieces of me (Luna)” neste meu blogue, soube de imediato que este texto devia ser escrito, porque o devo aos meus leitores assíduos.
O Porque Sim! começou com uma brincadeira. Uma brincadeira que, ao que tudo indica, correu bem. Eu tinha por hábito ler alguns (poucos) blogues, sem nunca comentar. Tornei-me visitante e comentadora assídua dos blogues de duas amigas minhas, a Alguém e a Pensamentovadio [que se recomendam, a publicidade não é paga mas é merecida! (tradução: vai lá ver e comentar, já! ;p]. Rapidamente se começou a verificar um fenómeno de comentários atrás de comentários, novos textos gerados por comentários feitos, etc. Ele era comentários com piadas, comentários a espicaçar comentadores, ele era opiniões filosóficas sobre tudo e sobre nada. Juntou-se a nós o Bloguótico. Quando demos por nós, havia comentários engraçadíssimos e autênticos textos dignos de ser publicados numa rubrica de um jornal ou revista de renome. Foi aí que insistiram comigo para também eu criar um blogue, porque até era engraçada e tinha umas ideias giras e um humor castiço. E olha, tanto insistiram e ameaçaram que eu cedi à pressão (e, por muito que me envergonhe, ao suborno). E pronto, surgiu o Porque Sim. Não foi difícil chegar a um nome para o blogue. Era óbvio. Eu não sou gaja para dizer não a uma experiência nova. Logo, criei o blogue apenas porque sim. O “Ora” só se juntou posteriormente. O Porque sim! começou por ser um blogue privado. Só um grupo restrito de amigos é que tinha acesso ao mesmo. Foi nessas andanças e ainda noutra morada que o Porque Sim! teve o seu período de incubação e que foi amadurecendo. Depois de insistências e de alguns e-mails ameaçadores (cheguei mesmo a temer pelos meus sapatinhos!) decidi mudar de sítio e o Porque Sim! mudou para “Porque Sim!...Ora!”, assumindo este endereço e denunciando assim a minha veia mais refilona. E desde então, aos pouquinhos, começaram a aparecer e a comentar pessoas novas e este sítio foi assim ficando mais rico. Este é um blogue pessoal. Eu escrevo porque gosto, do que gosto, porque sim. E confesso que 90% das vezes que clico na opção “publicar texto” o meu pensamento é: “Pronto, é desta que vão deixar de gostar do meu blogue, não vão gostar do texto, vão deixar de comentar e de aparecer e vou ficar sem leitores nenhuns nenhuns!”. Sim, confesso que sou mulher para sofrer de uma esquizofrenia moderada. Nada demais. Mas é realmente o que penso quando publico os textos. Porque apesar de tudo gosto de agradar aos meus visitantes, gosto que gostem do que escrevo. Porque é importante receber um feedback, é importante saber que gostaram, que exagerei ou que não tive piada. Mas é o risco de se ter um blogue, ainda para mais um pessoal. E agora, mais do que nunca, sinto que este cantinho não é só meu, mas sim de todos aqueles que têm a amabilidade de me visitar e deixar um comentário. Seria falsa se dissesse que me é indiferente comentarem ou não. Por isso vos agradeço! O Porque Sim!...Ora! não era a mesma coisa sem vocês e sem os vossos comentários que tanto me fazem rir e sorrir! Eu bem sei que não conheço a maior parte dos comentadores pessoalmente, mas sinto que vos vou conhecendo a cada texto vosso que leio, a cada comentário que vocês fazem. Se há amizades virtuais, deviam ser todas assim. Obrigada pelos vossos comentários, pelas palavras de carinho e de apoio quando os textos eram menos animados, pelas vossas palavras que me tocam. Porque tocam, garanto.




Beijo sincero e do fundo do coração para todos os que gostam de me visitar!

Lipa

*esta lista não segue nenhuma enumeração específica.

Satisfeitos?

Este post é dedicado aos meus amigos que me vieram dizer que o meu blog é "de gaja".


Claro que é de gaja, havia de ser de quê? Por acaso eu tenho pénis? Se tivesse todos os dias levavam com posts destes! ... Taradões...

E o blog é meu e quem manda sou eu, não adianta escreverem comentários a peticionar mais posts destes! ;p

P.S.: Esta é especial para o Krippmeister . Os olhinhos alheios que se fechem agora. Cá está ela:

Stealth, só por seres tu, pá!:

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Segunda-feira...

Hoje não há post. Estou oficialmente sem ideias. E com preguiça.




Nota-se muito que é Segunda-Feira? ;p